domingo, 16 de março de 2014

Milli Vanilli, a maior enganação da história da música pop



Se você é desses que reclama que Justin Bieber, Britney Spears, Madonna e tantos outros dentro da monarquia pop usam (uns abusam) de playbacks e auto-tune – alguém se lembra de Katy Perry fingindo tocar flauta em show? -, perdoe-os, pois existiu um duo que extrapolou todas as safadezas musicais e ainda davam shows de arrogância em entrevistas como se fossem grandes artistas – ops! –, nem artistas eles eram. Refiro-me a Milli Vanilli, os reis da picaretagem, que entre 1988 e 1990 obtiveram grande sucesso.

A idéia da dupla surgiu da mente do produtor Frank Farian que havia engendrado um projeto musical convidando os solistas Charles Shaw, John Davis, Brad Howell e as irmãs gêmeas Jodie e Linda Rocco. Apesar de excelentes cantores, não tinham apelo visual e nem comercial. Por esta razão, Farian recrutou dois dançarinos, Fabrice Morvan e Rob Pilatus, que conheceu em Munique (Alemanha), pois a dupla tinha uma imagem comercial “mais atrativa”.

Em 1988, é lançado o primeiro álbum “All or Nothing” com grande aceitação na Europa, o que fez a Arista Records, gravadora norte-americana, uma subsidiária da Sony, contratá-los, e lança-o com algumas pequenas modificações: um outro título “Girl you know it's true” e inclusão de algumas canções novas, em 1989. Foi sucesso imediato, levando-os logo ao disco de platina. Os singles “Baby Don't Forget My Number”, “Girl I'm Gonna Miss You” e “Blame It on the Rain”, lançados no mercado estadunidense atingiram o 1º lugar no ranking de música pop. Ascensão meteórica de Milli Vanilli ao estrelato da música pop culminou com um Grammy para artistas estreantes em 22 de fevereiro de 1990.

Com tanto sucesso o ego e arrogância foi às alturas, principalmente por parte de Pilatus. Já viciado em cocaína deu entrevistas onde dizia melhor do que artistas como Paul McCartney, Mick Jagger e Bob Dylan, ao mesmo tempo em que se referia a si mesmo como o novo Elvis.

A descoberta

O primeiro indício que tudo não passava de armação aconteceu no final de 1989 quando, em um show Bristol (Connecticut), nos EUA, que estava sendo transmitido ao vivo pela MTV, o playback começo a agarrar enquanto o duo cantava (leia-se interpretava) “Girl You Know It's True” e ficou repetindo várias vezes a frase "Girl You Know It's...”. Eles continuaram a fingir, mas o público ou não ligou ou nem percebeu a falha.

Ao contrário da versão internacional de “All or Nothing”, os créditos para a versão americana foram atribuídos às vozes no álbum para Morvan e Pilatus. Isto levou Charles Shaw, uma das vozes reais do grupo, a declarar a um jornal (New York Newsday) que Pilatus e Morgan eram apenas impostores.

A pressão só foi aumentando, principalmente por parte da imprensa, que passou praticamente a segui-los, levantando várias questões, por exemplo, como às discrepâncias freqüentemente observadas entre as vozes e de reprodução de shows. As suspeitas aumentaram, contudo, ao fato de que Morvan e Pilatus passaram a pressionar Frank Farian a usar suas próprias vozes para as canções do próximo álbum duo.

A 12 de novembro de 1990, o produtor e inventor do grupo Frank Farian admite que Fab e Rob não são os cantores reais e as apresentações ao vivo eram playback das vozes dos solistas originais.

Conseqüências

Quatro dias após a confissão de Farian, após forte pressão da imprensa americana, eles tiveram que devolver o Grammy, ganho nove meses antes, como resultado da fraude. A Arista Records imediatamente mandou recolher todos os álbuns do Milli Vanilli das lojas e retirá-los de seu catálogo, tornando impossível obter novas cópias de sua música. No entanto, eles estavam com um novo álbum praticamente pronto “Keep On Burning”. O primeiro single, a faixa-título, já estava no 65º lugar na parada alemã e em 16º na dos países baixos. O disco, porém, foi recollhido das lojas (saiu apenas na Europa) e tornou-se um item de colecionador.

Frank Farian tentou concertar as coisas e lançou nos EUA, o segundo álbum do Milli Vanilli, mas como The Real Milli Vanilli e mudando o título para “The Momento of Truth”, mesmo com os cantores reais, não houve aceitação do público.

Depois do fim do Milli Vanilli

Em 1993, Morvan e Pilatus se mudaram para Los Angeles, Califórnia, e assinaram com a Joss Entertainment Group, e lança o álbum Rob & Fab, com suas vozes reais, mas esta tentativa resultou em fracasso total, vendendo apenas 2.000 cópias, um número muito baixo quando comparado com o sucesso de 1988-1990. Além do fato de a dupla como cantores são excelentes dançarinos.

Outra tentativa ocorreria em 1998, Farian resolve ajudar a dupla produzindo um novo álbum do Milli Vanilli, também com ambos cantando. “Back and Attack”, seria lançado no mesmo ano, mas infelizmente a morte de Robert Pilatus impediu a realização.

Pilatus desde 1995 havia se envolvido em confusões, como assaltos e vandalismo; chegou a cumprir três meses de prisão até que Farian conseguiu levá-lo para uma clinica de reabilitação para viciados em drogas por alguns meses, além de pagar passagens de avião para ele voltar para a Alemanha a fim de divulgar o álbum recém gravado. Nada adiantou, Pilatus foi encontrado morto depois de uma overdose de drogas em Frankfurt, aos 32 anos. Rob Pilatus, segundo Frank Farian, se declarou homossexual dias antes de sua morte. Quanto a Fab Morvan, este tentou seguir carreira solo, mas sem sucesso.

Nenhum comentário: