sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Redbone, quando os índios resolveram tocar Rock´n´Roll

Jim Morrison acreditava que almas de índios mortos foram absorvidas pela sua alma, quando ainda criança presenciara um acidente envolvendo vários índios na estrada. No auge da fama, Jim costumava realizar uma dança xamânica no palco.

Ian Astbury quando morou no Canadá manteve relação de amizade com algumas tribos indígenas locais, levando muito desta influência para seu visual e composições, primeiro no Southern Death Cult, depois no The Cult. Ted Nugent costuma se apresentar vestido de índio com direito a cocar de penas, geralmente quando toca “Great White Buffalo”, um de seus maiores hits. Neil Young é outro sujeito que nunca deixou de referenciar a cultura indígena em sua música – as capas dos álbuns “American Stars ´N Bars” (1977) e “Broken Arrow” (1996) já falam por si só. No entanto, nenhum desses artistas eram índios, de fato.

Mas houve nos anos 70 uma banda composta por índios autênticos: era o Redbone, que em 1974 conseguiram a proeza de chegar ao Top 5 da Billboard Hot 100 nos EUA com a canção “Come And Get Your Love”. Outro grande sucesso foi “Witch Queen of New Orleans”, música a qual mostrou a que veio ao mundo.

A banda de Los Angeles era liderada pelos irmãos nativos americanos Pat e Lolly Vegas (descendentes de yaquis), ambos vocais e guitarra; Tony Bellamy, vocal e baixo; e Peter DePoe na bateria. Formada em 1968, ao longo da carreira teve em sua formação membros de ascendência Cherokee, Yaquis, Apaches e Shoshones.


Musicalmente misturava rock, R&B, jazz, soul, em meio a suas raízes indígenas. O nome do grupo é referente a uma piada no vocabulário Cajun, um termo para pessoas de raça mista, ou seja, mestiças.
O primeiro sucesso veio com “Maggie” do segundo álbum Potlatch, em 1970, mas foi com o single  “The Witch Queen of New Orleans” que a coisa decolou, levando-os ao Top 21 da Billboard Hot 100 em 1971.

O hit mundial veio com “Come And Get Your Love”, lançado em janeiro de 1974, em abril já havia atingido um milhão de cópias. Outra música significativa é "We were all wounded at Wounded Knee" sobre o massacre do povo Lakota nas mãos da sétima cavalaria estadunidense em 1890. Esta canção de 1972 atingiu o primeiro lugar na Europa, no entanto, nos EUA seria proibida em várias rádios – Os Estados Unidos sempre gostou de esconder seu lado negro.


A partir de 1975, a banda começa a entrar em lento declínio; nunca mais foi capaz de repetir o mesmo sucesso adquirido entre 1971 e 1974, embora houvesse várias tentativas subseqüentes, incluindo “Beaded Dreams through Turquoise Eyes”, do álbum de 1977 “Cycles”, já com outra formação. A música também tornou-se cada vez mais direcionada ao Soul e até Disco Music.

Entre vários retornos que nunca deram muito certo a banda findou-se em 2009, antes Redbone foi introduzido no Native American Music Association Hall of Fame. A esperança de uma nova volta da banda findaria em 04 de março de 2010, com a morte de Lolly Vegas, quando perdeu a batalha contra o câncer.

2 comentários:

Sinval Santos da Silveira disse...

Boa tarde!
Gostei muito de conhecer seu blog.
Amei Post sobre os índios e Rock!!

Abraços
Sinval

Mary Joe disse...

Gostei demais desse post. Sempre fui simpatizante dos índios...(até vivenciar a chatice do politicamente correto atual e a forma como isso impacta em índios de verdade, como encontro na região onde moro)...
E a banda me pareceu legal. Merecia ficar mais conhecida.