quinta-feira, 4 de julho de 2013

Steppenwolf, um clássico do rock´n´roll e o cantor quase cego


Quem viu o filme Easy Rider, de 1969, um filme clássico e uma ode a liberdade, estrelado por Peter Fonda, Dennis Hopper e um impagável Jack Nicholson saberá de que estou falando. De cara temos a canção Born To Be Wild, que ao lado de Smoking on the Water do Deep Purple é um dos riffs mais memoráveis do rock. Um pouco depois somos nocauteados com The Pusher, uma canção sobre a maconha.
A banda Steppenwolf imortalizava de vez no cenário musical do século XX. Eles que já tinham lançado o álbum homônimo em 1968, além de elepês não menos importantes como Steppenwolf The Second e Monster. Mas com o primeiro álbum que marcou época e arrastou uma horda de motoqueiros, que até hoje ainda os idolatram pelo feito.

A história começa na Alemanha Oriental, quando John Kay ( nascido Joachim Fritz Krauledat), junto à sua mãe, fugiu para o Canadá aos 13 anos – a ideia era ir para os EUA, mas a imigração ainda não estava aberta para a maioria dos alemães.

Em 1967, já morando nos EUA, Kay pôde realizar seu sonho de adolescente: montar uma banda de rock´n´roll  e logo foi interagindo com vários grupos de rock locais. Depois de desmembrar sua primeira banda de relevância, o Sparrow, Kay montou o Steppenwolf, com a metade do que sobrou do Sparrow – nome, aliás, retirado de uma obra do escritor Herman Hesse, O Lobo da Estepe, que ao lado dos escritores beatnik, foi um dos alicerces do movimento da contracultura. Mas ninguém do grupo havia lido o livro; fora sugestão do empresário.
O grupo, ainda antes de mudar de nome, já eram famosos por detonarem no lendário Whiskey A Go-Go, em Los Angeles, onde aconteciam performances ao vivo de The Byrds, The Turtles, Van Morrison e Captain Beefheart. Lá, Jim Morrisson (The Doors) foi expulso por cantar The End. Logo foram recrutados pela RCA e lançam o single “A Girl I knew”, em seguida, “Sookie Sookie” e a imortal “Born to Be Wild”, um hard rock vigoroso. Apesar de não ser o primeiro heavy metal, é a primeira vez que o termo é citado em uma música: I like smoke and lightning/ Heavy metal thunder.

Born to Be Wild chegou ao segundo lugar da parada norte-americana e foi regravada por artistas das mais variadas facções: Wilson Pickett, Slayer, The Cult, Bruce Springsteen e Blues Oyster Cult. Embora John Kay fosse o principal compositor, a música é da autoria de Dennis Edmonton, que também fez parte do Sparrow, e à época atendia pelo pseudônimo de Mars Bonfire.

John Kay

O líder da banda Steppenwolf é parcialmente cego e totalmente daltônico. Hoje ele é um ávido cinegrafista (como ele consegue?). Kay tem um problema ocular chamado acromatopsia que leva a uma aversão severa à luz, por isso sempre se apresentava de óculos escuros.  Seu pai morreu durante a guerra, restando-lhe apenas a companhia d mãe, Elsabeth Krauledat. Como moravam bem próximo da fronteira da Lituânia, em Tilsit, que em fins de 1944 já estava sobre dominado russo, eles foram, em 1948, entre os 3,5 milhões de alemães orientais a fugir para a Alemanha Ocidental, antes que a emigração piorasse com a construção do Muro de Berlim, em 1961.

John Kay só conseguiria ir para a América em 1958, vivendo antes por uma década no Canadá, e encontrou um grande obstáculo: aprender inglês sendo quase cego e acromático. Foi graças ao Canadian National Institute for the Blind (CNIB) que ele obteve ajuda, embora não fosse cego, tratava-se de um caso especial. Ao receber do CNIB um gravador Wollensach de rolo que seu inglês melhorou, pois pôde usá-lo para gravar música e ouvir a si mesmo cantando.

Em 1963, Kay foi para os EUA, mais especificamente para cidade de Buffalo (Estado de New York), já falando bem inglês, mas enxergando muito pouco, o que dificultou para arrumar emprego. Tudo que conseguiu foi trabalhar em uma fábrica de velas, emprego conseguido por meio de uma associação para cegos. Apesar da cena música restrita consegue montar uma banda, JFK and the Congressmen.

Não demorou muito para desembarcar na Califórnia com a família (sua mãe havia casado novamente). Logo estava tocando blues em bares e cafés para, em seguida, se juntar ao The Sparrows, banda a qual já conhecia quando tocaram em Toronto. A banda não duraria muito e John kay montaria o Steppenwolf. O resto é história do rock.





               


Nenhum comentário: