terça-feira, 25 de junho de 2013

É o Jimi Hendrix? Não, é Frank Marino


Uma vez ouvi no rádio um cover ao vivo de Purple Haze de Jimi Hendrix, pensando ser o próprio. Fiquei esperando entrar a voz do negão, mas, de repente, a voz que entrou era um pouco diferente, até que, ao final da música, anunciaram um tal de Frank Marino. Pensei: que merda é essa! O cara toca igual, além de uma voz muito boa (também muito similar a de Hendrix). Este é exatamente o problema dele: parecer demais com seu ídolo. Por isso mesmo, sempre foi visto apenas como um dos milhares de clones de Hendrix, fazendo com que muitas pessoas dessem pouca atenção à sua música.

Foi à frente do trio Mahogany Rush que Marino ganhou certa projeção como guitar hero, muito devido aos seus shows, pois seus álbuns nunca venderam bem e, ainda hoje, são difíceis de encontrá-los, até mesmo em seu país de origem, o Canadá.

De ascendência italiana e árabe, Frank Marino iniciou sua carreira em Montreal na década de 1960. Hospitalizado por excesso de consumo de ácido, ele aprendeu a tocar guitarra durante sua permanência por lá. Além de ser assumidamente influenciado por Hendrix, entra no pacote The Beatles e The Doors.
Consumidor de drogas pesadas em grandes quantidades, o artista criou composições que refletem sua percepção do mundo, muitas vezes sob a influência de drogas - o nome do grupo que formou com amigos, Mahogany Rush, no início dos anos 1970, também foi inspirado pelos efeitos provenientes do uso de LSD.

Para quem quiser conhecer a música de Frank Marino e Mahogany Rush, recomendo o álbum duplo ao vivo Real Live! (2004), pois o moço sempre se saiu melhor no palco. As apresentações aconteceram em duas datas: 19 de outubro de 2004, no Canadá e 05 de novembro nos EUA. Neste álbum, além de conter alguns de seus grandes sucessos, o show abre de cara com Voodoo Chile. Adivinhe de quem?

Um comentário:

Mary Joe disse...

Se vc naõ tivesse dito, eu acharia que era Jimi Hendrix...
Há uma linha sutil entre ser influenciado por alguém e ser um clone. Até porque os clones parecem ter pouca originalidade.

Pena que esse cara talentoso ultrapssou essa linha e foi visto apenas como clone.
Bom seu texto.
Beijokas
Mary Joe