terça-feira, 16 de abril de 2013

Athlete, eles poderiam ser o Keane


A banda inglesa Athlete poderia hoje estar no mesmo patamar que o Keane (banda de sua geração), mas algo deu errado; o sucesso veio apenas momentaneamente.  Eles até tentaram direcionar sua música para uma sonoridade mais pop – o primeiro álbum, Vehicles and Animals (2003), era uma espécie de sub-Paviment. Faltava personalidade. O segundo, Turist (2005) ainda mantém a influência do Paviment, e algo de The Snow Patrol. Nele, contém a linda Chance, canção memorável. Outra que chama a atenção é Wire. O álbum chegou ao número 1 e vendeu mais de 500.000 cópias.


No terceiro álbum, mudariam novamente. Passam a seguir as pegadas do Keane (já havia algum de piano-rock em Turist), só que com mais guitarras. Beyond the Neighbourhood foi visto pela crítica como “experimental”, mas não há praticamente nada de experimental, apenas uma mudança na sonoridade. O trabalho é lindo, mas falta hits. Infelizmente o disco não foi muito bem.

2009 é a vez de Black Swan, produzido pela banda. É um álbum mais pop, aproximando muito mais do Coldplay do que com o Keane. Também não fez sucesso e a banda dá um sumisso discográfico, lançando apenas, um ano depois, uma coletânea chamada Singles 1-10. Sabe-se que recentemente a banda saiu em turnê para comemorar os 10 anos do álbum “Vehicles 7 Animals".

domingo, 14 de abril de 2013

Audac, sobreviventes do quase morto rock nacional


Que o rock nacional atual (estou sendo bonzinho, porque desde a década de 1990 é uma bosta) é uma merda isso todo mundo sabe. Pois é, o rock nacional pela sua má qualidade conseguiu espantar a juventude de tal forma que bandearam para outros estilos como pop sertanejo e funk carioca. Para falar a verdade o não vejo muita diferença musicalmente entre o pop/rock e as duplas “sertanejas”; a única diferença está no uso maior de guitarras por parte dos “roqueiros”.

No cenário nacional pouca coisa se salva (digo, muita pouca coisa mesmo), é o caso da banda curitibana Audac, que recentemente lançou o vídeo “Back to the Future”. O som é legal, mas infelizmente cantam em inglês – e nem parece que são brasileiros. Pena.