domingo, 25 de novembro de 2012

Candi Staton, uma diva do soul que não é Whitney Houston



Candi Staton é uma dessas cantoras que começou a carreira cantando soul, no final dos anos 1960, e depois tentou pegar carona na Disco Music, com um sucesso aqui e outro ali para depois desaparecer e voltar décadas depois cantando gospel ou viver de velhos hits.

Sua fase soul é a melhor, o que faz com que concentremos nossa atenção em seus primeiros álbuns – I´m Just a Prisoner (1969), Stand By Your Man (1971), Cândi Staton (1973) -, porém em 1976 ela entrou na onda da Disco Music e comete “Young Hearts Run Free”, seu maior hit, levando-a competir, por um curto período de tempo, com as “rainhas da Disco” ao lado de gente como Donna Summer e Diana Ross.

O que importa é que durante anos ela foi uma incrível cantora soul. No entanto, nunca ganhou a fama que merecia – era muito cult, lado B, ou mesmo underground. E a moça não ficou milionária, chata, com o ego nas alturas, vendendo milhões de álbuns para depois descer ao inferno das drogas. Coisas que aconteceram com gente como Whitney Houston, reconhecida como diva do soul e do R&B.

Que o mundo é injusto, todos nós sabemos. Whitney Houston lançou muitos álbuns seguindo fórmulas muito mais direcionadas para o pop pasteurizado do que para o soul. Tudo bem, Houston tinha uma ótima voz. Que mais?

Quem saiu perdendo fomos nós. Os discos de Candi Staton antigos não são reeditados facilmente – tudo que se encontra, às vezes, é alguma coletânea.  Esta cantora nascida no Alabama não conheceu nem metade da fama de Houston, sendo que seu talento era bem superior. Ambas tiveram origem no soul e cantavam em igrejas, flertaram com a Disco Music e ambas com seus vocais requintados.

Candi Staton ainda é viva. Sua música hoje é mais voltada par ao gospel – e ainda canta bem demais. Caso morra (isso acontecerá com todos nós), não vai ser aquela babação como aconteceu com Whitney Houston, onde a mídia explorou muito mais sua decadência psicológica e física do que sua música, seu talento – e tivemos que ficar ouvindo I Will Aways Love You toda hora.

Nenhum comentário: