quinta-feira, 19 de julho de 2012

Quando Paramahansa Yogananda pirou a cabeça de Jon Anderson do Yes




Qualquer fã do Yes sabe que Jon Anderson sempre gostou de hinduismo – o cara chegou a dizer que foi morador de Atlântida, curandeiro na China e professor de piano na França. Só que em 1973, Jon entretido com a leitura do clássico “Autobiografia de um Yogue”, publicado em 1946, de Paramahansa Yogananda, exagerou na dose e afastou Rick Wakeman, um convicto cristão, que não estava curtindo nada daquelas ideias. Dizem que também que Wakeman estava mais preocupado com sua carreira solo em ascensão.

Depois do lançamento de Close to the Edge (1972), o cantor Jon Anderson estava procurando um tema para a composição de um álbum ambicioso. Uma noite, em março de 1973, durante a turnê no Japão para promover o último álbum, Anderson encontrou-se “preso ao rodapé da página 83” de Autobiografia de um Iogue por Paramahansa Yogananda , que descreve quatro shastras: escrituras que cobrem religião , arte, vida social, medicina, música e arquitetura. Anderson foi apresentado ao livro de Yogananda na recepção do casamento do ex-baterista do Yes, Bill Bruford, por Jamie Muir, o percussionista King Crimson.

O álbum que se chamaria Tales from Topographic Oceans foi oncebido em quatro longas peças The Revealing Science of God (Dance of the Dawn): Shruti; The Remembering (High the Memory): Smriti; The Ancient (Giants Under the Sun): Puranas; e Ritual (Nous Sommes du Soleil): Tantras.

O álbum não vendeu o esperado e muito menos repetiu o sucesso de Close to the Edge. A crítica, em sua maioria, desse o pau no trabalho até hoje. Exagero, o álbum é muito bom, o que acontece é que se generalizou que o trabalho é ruim, e muitos nem têm o cuidado de ouvi-lo com a atenção que merece.

Pior que a maioria dos membros do Yes não curtiram Tales from Topographic Ocean, tanto que Rick Wakeman pulou fora; apenas Steve Howe teve um pouco mais de aceitação com as viagens espirituais de Jon Anderson.

Fico pensando: será que Yogananda iria gostar do álbum? Pode ser... Títulos como “A Ciência Reveladora de Deus” parece até nome de livros do mestre iogue.  As letras de Jon demonstram que ele entendeu muito bem os ensinamentos de Parahamansa Yogananda. Pelo menos Jon Anderson está salvo.

Um comentário:

Adri disse...

Que legal!!! Eu gosto do Jon... O projeto dele com o Kitaro é lindo, eu amo!!!