quarta-feira, 23 de maio de 2012

Ommadawn de Mike Oldfield



Eu também sou dentre os vários fãs de Mike Oldfield que tem em Tubular Bells seu melhor trabalho. No entanto, o multi-instrumentista inglês não viveu apenas desse clássico da música. Outros trabalho significativos vieram depois: Hergest Ridge (1974), Ommadawn (1975) e Incantations (1978). Uma sequência de álbuns irretocáveis. Era a fase de ouro da carreira de Mike.

Eu gostaria de contar a história deste músico aqui – ele é tão desconhecido das gerações atuais! – o sujeito toca mais de 60 instrumentos e é autodidata. Mike durante sua carreira transitou por vários estilos, desde do rock progressivo, música minimalista, folk celta, world music, música eletrônica, pop, música erudita. Ele ajudou seus dois irmãos – Sally e Terry – a se iniciarem na carreira música.

Ommandawn tem participação de Terry e Sally; esta participação de ambos deve-se muito a perda recente, em janeiro de 1975, da mãe deles. A lista de instrumentos tocados por Mike Oldfield é novamente impressionante, indo de harpa, banjo, percussão, sintetizadores, bandolins, entre outros.

É o terceiro álbum de Oldfield e foi lançado no dia 21 de outubro de 1975, tendo apenas duas longas faixas com pouco menos de 20 minutos. Ah, não dá nem para perceber porque, como de costume, existe várias mudanças de andamentos que se desenvolvem a partir de uma base melódica. No entanto, o melhor momento está no final: uma pequena melodia cantada por ele e acompanhada por um coral de crianças chamada on Horseback (no original pelo menos não vem creditada). Sublime!

 

Um comentário:

Mary Joe disse...

Acho que Mike Oldfield é dos mais talentosos artistas que já tive oportunidade de ouvir. Sua sensibilidade é tamanha que você nota as nuances dos instrumentos em cada música. Simplesmente celestial.

E... essa musiquinha do final com o coral de crianças é uma que se eu tivesse que escolher e levar para uma ilha deserta, seria levada.

Seu post ficou muito bom. (como sempre, rs).
E o artista merece.
Beijo carinhoso
Mary Joe