sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Calenture (1987) – The Triffids


Os australianos, oriundos da cidadezinha australiana de Perth, do The Triffids neste quinto trabalho atingiram seu melhor momento. A banda no álbum anterior, Born Sandy Devotional (1986), já havia preparado terreno quando soube melhor moldar suas influências de folk, blues, art rock, pop e muito The Doors – em vários momentos baixa um Jim Morrison na voz do líder David McComb; o que fica óbvio em canções como Kelly´s Blues. Calenture também traz a maior concessão ao pop da banda, Holy Water.

O título do álbum, Calenture, significa um delírio tropical que acomete os marinheiros que passam muito tempo longe da terra firme, fazendo-os pular em alto-mar, imaginando que se trata de uma pradaria. Ele traduz perfeitamente o clima alucinatório que permeia as composições de David McComb.

Algumas canções com certo clima blues, cheias de tristeza palpável lembra outro australiano, Nick Cave, principalmente em sua fase The Good Soon. Mas são as baladas pungentes de Bury Me Deep in Love, Blinder by the Hour e What You Can que comprovam toda a beleza deste álbum.

A banda lançaria mais um álbum, The Black Swan, antes de se separar em 1989. McComb tentou estabelecer carreira solo, lançando Love of Will, de 1994. Infelizmente em uma viagem para Nova York, McComb ficou doente, rapidamente voltaria para a Austrália, sendo posteriormente colocado em uma lista de espera para transplantes de coração. Um doador foi descoberto em 1995, e McComb passou por uma operação bem sucedida.

Em 30 de janeiro de 1999, McComb foi hospitalizado após um acidente de carro, ele faleceu em 2 de fevereiro do mesmo ano, enquanto tentava se recuperar.



2 comentários:

Mary Joe disse...

Ja tinha ouvido falar nessa banda, mas por mais que tente me lembrar, naõ sei bem de onde. Gostei das canções que vc colocou e lamentei a morte do cara, taõ jovem ainda.

Seu post ficou muito bom e deu saudade. Acho que talvez pela morte do cara, senti aquele pesar do 'não teremos mais deles'.
Beijo carinhoso
Mary Joe

Adri disse...

Gosto da propriedade e da segurança com que você fala dessas bandas que "ninguém" conhece. Eu nunca tinha ouvido falar. É bem o seu estilo mesmo. Sou pop demais pra curtir isso daí. Mas é anos 80... Sempre bom lembrar!
Bj