domingo, 25 de setembro de 2011

Procol Harum – Procol Harum (1967)


O Procol Harum tem uma coleção de álbuns maravilhosos e lindas canções como “Homburgo”, “A Salty Dog” e “Song for A Dreamer”, mas sempre serão lembrados principalmente por terem feito uma das musicais lindas que o mundo já ouviu: “A Whiter Shade of Pale”. A canção foi lançada em 12 de maio de 1967, tendo como tema um poema surrealista escrito por Keith Red e música de Gary Brooker que se inspirou em uma peça clássica de Johnn Sebastian Bach (Aria em Sol Maior da Suite Nº 3 em Ré Maior).

“A Whiter Shade of Pale” entrou no top dez da Billboard em 15 de julho (décima posição), atingindo a quinta posição duas semanas depois, permanecendo no top 10 durante seis semanas. Somente nos EUA, o single da canção vendeu 1 milhão de álbuns e 6 milhões de cópias no mundo todo.

É considerada a música mais tocada nos últimos 75 anos em locais públicos no Reino Unido (2009). Aparece no 57º lugar na lista das 500 maiores músicas de todos os tempos da Revista Rolling Stone.

Porém, o sucesso do single “A Whiter Shade of Pale” não ajudou muito a elevar as vendas do primeiro LP autointitulado, levando-o apenas a um relativo sucesso na América e Reino Unido. O álbum é uma envolvente fusão de rock psicodélico, blues e influências clássicas com letras fantasmagóricas.

Engraçado é a origem do nome Procol Harum. De todas as fontes pesquisadas, o nome veio de um gato siamês; umas dizem que o bichano era de uma amiga (ou amigo) de Guy Stevens (empresário da banda); outras dizem que o gato era de Keith Reid (poeta que fazia as letras para o grupo). Afinal, de quem era o gato?

A formação que gravou o primeiro álbum era formada por: Gary Brooker (piano e vocal), B. J. Wilson (bateria), Robin Trower (guitarra), Matthew Fisher (órgão) e David Knights (baixo). Este time de músicos produziriam os melhores trabalhos da banda e seguiram juntos por mais três anos.

Mas não é só “A White Shade of Pale” que embeleza o primeiro disco da banda. “Conquistador” é outro hit, só que, vá entender, em 1973, que foi fazer sucesso com outra regravação. “Repent Walpurgis” é outra canção inspirada em Bach, na qual mostra todo grande desempenho dos músicos.

Enfim, o Procol Harum começou muito bem e mantiveram respeito ao longo dos anos 1970 e aos poucos foram dos estúdios e nos palcos raramente aparecem com uma formação diferente, mas sempre com Brooke, que nunca deixou a banda. Uma banda no mínimo curiosa, que inventou uma música baseada em dois teclados e um vocalista com uma voz bem ao estilo Ray Charles.

2 comentários:

Adri disse...

Essa música é tão linda...

Mary Joe disse...

Interessante a história da banda. Para mim essa banda sempre significou essa música. E o mais legal é que essa música sempre foi uma espécie de referência de Cláudio Campos.
Mais ou menos como um silogismo... Se Procol harum é A Whiter Shade of pale.
E Whiter shade of pale é o Cláudio.
Entaõ, Procol Harum é o Cláudio!!!!

Compliquei né?
Mas enfim, a música é linda e o post ficou ótimo.
Beijo carinhoso
Mary Joe