sábado, 17 de setembro de 2011

The Gathering - West Pole (2009)



Quando a vocalista Anneke van Giersbergen saiu do The Gathering, a primeira coisa que veio à mente foi: agora a banda já era. Esse foi o sentimento não só meu, mas de muitos outros fãs: afinal Anneke foi a melhor vocalista e lançou os melhores álbuns junto ao grupo.

Ainda sobre o efeito do último trabalho de estúdio, Home (2007) – acreditava que era um álbum insuperável – então, fui ouvir em 2009, a estreia da nova vocalista Silje Wergeland, conhecida por tocar na banda Octavia Sperati, que não era lá grande coisa. Ok. Mas você logo pensa: o The Gathering tem o guitarrista René Rutten e seu irmão Hans Rutten na bateria, o que significa que não deixariam a peteca cair. E no mais Anneke nem foi a primeira vocalista da banda. Embora fosse ela quem trouxe novos elementos à banda, afastando da influência do até então Black/Doom Metal praticado por eles – aquelas chatices de vocais guturais – para um som mais atmosférico, progressivo e até com influência de trip hop.

Nesse espírito de desconfiança, fui ouvir West Pole, não esperando muita coisa. O álbum abre com a faixa instrumental "When Trust Becomes Sound", um misto de Sonic Youth com Mogwai num caos sonoro absurdo e meus os olhos já começam a brilhar de alegria, com o sorriso logo aparecendo. Na segunda, “Treasure”, Silje Wergeland aparece com seu vocal – tudo bem que meio imitando Anneke –, no entanto, não tem como não se render: a música é linda! “All You Are” não deixa o pique cair, The West Pole poderia estar em Home perfeitamente e "No Bird Call", com sua atmosfera melancólica, é uma das melhores do álbum.

Há participação da cantora Marcela Bovio (Stream of Passion) em "Pales Traces" e Anne van den Hoogen em "Capital of Nowhere". A guitarra de René se faz mais presente em "No One Spoke" e o álbum fecha magistralmente com “A Constant Run” e seu final maravilhoso. Disco bom é assim, ao terminar de ouvi-lo você fica sem palavras...



Um comentário:

Mary Joe disse...

The gathering é bom demais. Naõ conheço tanto assim da banda para perceber com clareza o que é influência da vocalista anterior ou dessa. Mas que é uma delícia é.

Achei que a forma como vc colocou Cláudio, dá vontade da gente baixar o cd e ouvir logo... porque te deixar sem palavras é coisa que pouca coisa faz.
Beijokas
Mary