sábado, 27 de agosto de 2011

Tuomas Holopainen, o gênio por trás do Nightwish



Tudo começou como um projeto acústico de Tuomas em 1996, que logo viria a ser a banda de maior êxito da Finlândia, com mais de 7 milhões de cópias vendidas à nível mundial, 11 discos de ouro e 30 discos de platina.

O Nightwish influenciaria bandas de metal no mundo inteiro, inclusive várias no Brasil, aliás, país no qual a banda tem incontáveis números de fãs. Quando a soprano Tarja Turunen foi dispensada, muito foi questionado sobre o futuro da banda e se o nível elevado do Nightwish cairia. No entanto, embora as atenções estivessem na cantora, esqueceram que o gênio por trás da banda se chamava Tuomas Holopainen.

Desde cedo envolvido com música, aos sete anos já tocava clarineta e piano; até clarineta chegou a aprender, quando passou por uma banda de jazz. Tuomas também estudou teoria musical por 11 anos.

Foi depois de assistir a um show do Metallica, aos 15 anos, que decidiu abraçar o heavy metal como estilo que passaria a se dedicar. Logo se juntaria ao Dismal Silence, sua primeira banda, na qual já havia trocado o piano pelo sintetizador. Aos 19, ele tocou no grupo Darkwoods my Betrothed que conseguiu um contrato com uma gravadora. Época em que compôs sua primeira canção: A New Heaven A New Earth.

Uma bela noite em 1996 (Tuomas tinha 20 anos de idade) foi para uma ilha em Kitee com alguns amigos. Lá surge a idéia do projeto Nightwish, que logo viraria banda. Época em que Tarja Turunen, uma estudante da Sibelius Academy que Tuomas conhecia desde a idade de 13 anos (eles tocaram no mesmo grupo de ... jazz!), entraria para o projeto, ela concordou imediatamente em participar, embora ela não conhecia quase nada de heavy metal.

Desde e que gravaram o primeiro álbum, a fama do Nightwish passaria a correr o mundo e o nome de Tuomas também, o que o levaria a ser convidado para vários projetos, inclusive a compor uma trilha sonora para cinema, o filme Lieksa. É convidado para fazer parte da banda de Gothic metal finlandesa For My Pain, na qual está até hoje e várias contribuições com outras bandas e artistas.

Tuomas Holopainen é grande admirador de música erudita, cinema e literatura. É o responsável por quase todas as letras e composições do Nightwish, além de incrível letrista e poeta. Ele só não é mais reconhecido porque é apenas associado ao heavy metal, estilo em que existe ainda muito preconceito.

O último trabalho do Nighwish, Dark Passion Play, não fez feio, é de uma beleza absurda, basta ouvir a épica The Poet and the Pendulum e estamos conversados. Ainda que Tarja não esteja mais presente, a sueca Anette Olzon (ex-Alyson Avenue) se adaptou muito bem à banda.

O mundo agora aguarda o mais ambicioso projeto de Tuomas Holopainem (o Jack Sparrow do Heavy Metal!) junto ao Nightwihs, o filme e álbum Imaginarium. Apesar da demora, Dark Passion Play é de 2007, a espera parece valer à pena, pois a dedicação tanto do Tuomas quanto o restante da banda tem sido incrível, e afinal, há um gênio trabalhando: Tuomas Holopainen.

2 comentários:

Mary Joe disse...

Nightwish é muito bom. Não sabia dos bastidores da banda e menos ainda da cultura musical do Tuomas Holopainen, mas foi bom saber.

Seu blog sempre é muito instrutivo e esclarecedor.
Beijokas
Mary Joe

Adri disse...

queria fazer uma pergunta... no mundo, o país que tem mais fãs dessa banda é o Brasil, né? são muito queridos aqui, né?

verdade q ninguém faz juz a quem não "lidera" uma banda como vocalista.

parabéns pelo post!