domingo, 17 de julho de 2011

Ringo Deathstarr - Trip Colour (2011)


Definitivamente o segredo mais bem guardado do Texas, este grupo chamado Ringo Deathstarr é fortemente influenciado pelo My Bloody Valentine, Jesus & Mary Chains e agradará todos amantes de shoegaze de ontem e de hoje. Doces melodias pop entrelaçadas em paredes de guitarras numa agradável e hipnótica destruição sonora.

Não tem como não ouvir a primeira canção de abertura do disco, “Imagine Hearts” e não pensar no álbum “Loveless” do My Bloody Valentine. Na segunda faixa, “Do It Every Time” é totalmente Jesus and Mary Chains, ao mesmo tempo tem algo de bandas como The Primitives (alguém lembra-se deles?), Lush e Chapterhouse. Pode-se dizer então que este Trip Colour é uma homenagem àquela época. Não falta nada: as vozes enterrado sob uma névoa de feedback, iluminadas por melodias oníricas, além da inserção ácidos synths em algumas canções, fazendo-nos sacudir em um autismo rítmico.



Ringo Deathstarr foi originalmente formado em 2005 pelo cantor e guitarrista Elliott Frazier em sua cidade natal em Beaumont, Texas, mas depois de mudar-se para climas mais musicais, em Austin, a banda estabilizou com o guitarrista Renan McFarland, a baixista Alex Gehring e o baterista Dustin Gaudet . Ringo Deathstarr estreou com o auto-intitulado EP de cinco músicas, foi lançado pela gravadora britânica SVC, no outono de 2007.

Depois de mais alguns EP´s, fazer shows e aprimorar o seu som, a banda foi contratada pela gravadora do Reino Unido AC30 e lança o primeiro álbum, Sparkler (2009), pela AC30 e logo estavam tocando em grandes festivais em 2010.

* O nome da banda veio da junção de Ringo Starr com a Estrela da Morte, uma base bélica criada pelo Império Galáctico da série Guerra nas Estrelas.

Nenhum comentário: