domingo, 12 de junho de 2011

Alice Cooper, o roqueiro romântico


Sei que muitos estranharão o título acima, ainda mais que Cooper (Vincent Damon Furnier) tocou recentemente no Brasil nos brindando com o melhor do seu shock-rock. Mas entendermos o título de “roqueiro romântico” melhor voltarmos em 1975 quando Alice dispensou sua banda - o Alice Cooper Group - que o acompanhava desde o início para partir em carreira solo.

Depois de lançar Welcome to My Nightmare em 1975, seguindo uma linha mais teatral, mas não menos hard rock, sua carreira começou a declinar, embora o álbum fizesse certo sucesso, graças muito a linda balada "I Never Cry”, muitas das quais ele faria adiante e conquistando outro tipo de público, aquele mesmo que curtia as baladas de Elton John. Fato interessante, é que no álbum de 1978, From the Inside, o disco foi todo co-composto por Bernie Taupin, o autor de quase todas as letras das músicas do Elton John. Nele encontra-se a canção How You Gonna See Me Now, outro grande sucesso, afinal seus rocks já não chamavam tanta atenção.

De todas baladas de Alice Cooper à época, foi You and Me, de 1976, que o levou ao Top 20. Música que foi lançada em single e também se encontra no álbum Lace and Whiskey do mesmo ano. Nesta época era comum ouvir anunciarem antes de tocar suas músicas nas rádios: “Alice Cooper, o roqueiro romântico”. E eu, ainda criança, pensava: “este título não é do Elton John?”

Alice Cooper só voltaria a por peso em suas canções no álbum Constrictor (1986), quando várias bandas de hair metal o reverenciavam-no. Refiro-me a bandas como Twisted Sister, Poison e Motley Crue, e, claro, Guns´n´Roses do Slash, sujeito que também sempre curtiu uma cobrinha. Logo viria o disco Trash, de 1989, que o alçou o 1º lugar nas paradas de sucessos, conquistando uma nova geração e fazendo que até gente como a ex-Nightwish Tarja Turunen fizesse cover da canção Poison.

* Este post é dedicado a todos os casais de namorados e principalmente a Adriana, minha namorada, deste blog aqui: Nada contra o Verso





2 comentários:

Adri disse...

Adorei a homenagem! Muitas curiosidades, como não poderia faltar!
Meu Dia dos Namorados só seria melhor se você estivesse comigo. Muitas saudades...
Beijos

Mary Joe disse...

Cláudio, gostei do post, bom como sempre. Mas achei linda sua homenagem.

Eu que acompanho vcs há anos, só posso admirar o quanto um é companheiro do outro. Que Deus os abençõe nesse dia dos namorados e sempre.
Beijo carinhoso
Mary Joe