domingo, 29 de maio de 2011

Wild Nothing, alegre melancolia



Guitarras com sabor Felt, a melancolia do Field Mice e todos aqueles conjuntos pertencentes à Class of 86 (hoje, Twee pop) que incluía bandas anoraks como Pastels, Wolfhounds e The Wake. Sim, o Wild Nothing tem muito dos anos 1980 - para o grande público não vai ser difícil perceber influências do The Cure, fase Disintegration e as canções mais eletrônicas é puro synth pop. No entanto, podemos sentir que há sintonia com os trabalhos de Ariel Pink, a leveza shoegaze do The Pains of Being Pure At Heart e Radio Dept. Ou seja, o melhor do low-fi. Esta é a estréia do Wild Nothing com seu Gemini, lançado em 2010.

Captured Tracks é um selo do Brooklyn, e está se tornando uma referência para encontrar e descobrir novos e interessantes artistas. Jack Tatum, um rapaz nascido em Virginia, anteriormente em projetos como o Jack and the Whale e Facepaint, agora encara uma “banda”. Desde 2009, o Wild Nothing já tinha lançado lindos EPs, depois nos brindou com um álbum completo.

Tudo é tão melancólico e tão bonito. É como uma manhã ensolarada em vez de deixá-lo mais alegre, deixa-o mais triste. Verdade, não há nada de novo na música do Wild Nothing; no entanto, não os vejo como um projeto ou futuramente uma banda – Tatum fez tudo sozinho, tocando baixo, guitarra, sintetizador e bateria e montou uma banda para testar as canções ao vivo, recrutando o baixista Jeff Haley, o guitarrista Nathan Goodman, e o baterista Max Brooks e saíram por aí tocando ao vivo.

Gemini foi lançado na primavera de 2010 e recebeu todo tipo de elogio da crítica. Depois seguirando com o EP Golden Haze, no final de 2010, resolveram reeditar Gemini em fevereiro de 2011, com músicas bônus, incluindo uma versão para música Cloudbusting de Kate Bush.



Um comentário:

Mary Joe disse...

Amiguinho, acho que definitivamente sou mesmo povão. Ou usando suas palavras: grande público.
Porque do seu primeiro parágrafo tudo que entendi foram as referências ao The Cure.

O resto foi meio que em outra língua para mim.
E olha que estou sempre por aqui e aprendo muito no seu blog.
Mas que vc falou difícil, falou!

Achei as músicas que vc colocou deliciosas. Fiquei até com vontade de baixar mais coisas de Wild Nothing.
Beijim
Mary Joe