terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Benjamin Biolay - La Superbe (2010)



Os brasileiros não curtem tanto música francesa quanto os franceses curtem música brasileira – desde o surgimento da bossa-nova eles mantém antenados com tudo que rola em terras tupiniquins. Lembro que quando o Sterelab veio pela primeira vez ao Brasil, o líder Tim Gane, ao ser perguntado se conhecia música brasileira, foi logo dizendo que era fã de Chico Science & Nação Zumbi; isso nos idos de 1990.

Benjamin Biolay é um cantor, compositor, multi-instrumentista que segue a tradição chanson bem aos moldes de Serge Gainsbourg (aliás, sempre foi muito comparado ao mestre), ao mesmo tempo em que tem forte influência de rock e pop – principalmente inglês. Também já transitou pelo hip hop, jazz e folk.

Depois de transitar por esses vários estilos, Benjamin Biolay retorna à sua melhor forma em La Superbe. Tal como acontece com Négatif (2003), o músico e produtor francês lança um disco duplo ambicioso que traz climas intimistas e melancólicos (Ton Héritage, Miss Cagastrophe), um quase tributo ao New Order (Si tu suis mon regard) e boêmia parisina (The Addiction).

Como todos os cantores de sua geração, que abordam a chanson, Biolay é perseguido pela sombra de Serge Gainsbourg. Mas, ao contrário de seus colegas, é incólume de comparações, pois a força da elegância para mesclar arranjos orquestras com programações torna sua música distinta dos demais.

3 comentários:

Adri disse...

É muito difícil se livrar de rótulos em termos de arte. Ele vai ser sempre comparado. Irretocável post... Um dos melhores até hoje, acho.
Beijos

Mary Joe disse...

Gostei muito do som do Benjamin Biolay. Vou procurar mais sobre ele na net.
Adoro essa característica do seu blog. Sempre aprendemos e ficamos com vontade de aprofundar na obra daquele artista.
Parabéns pela vasta cultura musical.
beijokas
Mary Joe

llq disse...

I get much in your theme really wedding jackets for the bride thank your very much i will come every day