sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Bob Dylan - The Freewheelin´ (1963)


As canções de Bob Dylan se confundem com a história da música pop do Século XX. Sua influência – principalmente se tratando de letras – é incomensurável. Bob é um poeta. Não é à toa que ele é o artista mais regravado até hoje. Mesmo aqueles que não gostam de sua voz fanhosa, reconhecem-no como compositor talentoso.

Se Dylan começou timidamente, em 1962 – era quase um clone de seu ídolo Woody Guthrie -, com seu disco homônimo, foi em The Freewhelin´ que ele se revelou o “porta-voz de uma geração”. Nele encontram-se algumas canções emblemáticas – Blowin´in the Wind, A Hard rain´s A-Gonna Fall, Master of War – que ignoravam a embalagem colorida da sociedade americana. Bob Dylan falava de guerra, racismo e temor nuclear.

Se o primeiro trabalho não vendeu nada, o segundo, contudo, denunciava o talento de compositor. Sim, ele deixou a sombra de Woody Guthrie, e passou a confiar em seu próprio taco.

A capa de The Freewhelin´ é provavelmente a mais legal de Dylan. Lá está  Bob e sua namorada Suzy Rotolo (passei anos achando que era Joan Baez) com quem ficaria por um longo tempo. Esta foto antológica foi tirada por Don Hunstein, um fotógrafo que era contratado pela Columbia, e costumava trabalhar com artistas de jazz. 


Assim, numa manhã friorenta de fevereiro de 1963, ele sugeriu que Dylan e Suzy caminhassem pela região de 161 West Fourth Street, no centro de Manhattan, perto de onde moravam. Por coincidência, o estúdio de Hunstein ficava perto. De braços dados e sorrindo discretamente, Bob e Suzy parecem estar alheios a tudo, aparentemente indiferentes aos carros que passam ao lado e à confusão de Manhattan.

Quanto à influência que teve Dylan a partir deste disco é melhor deixar de lado.


3 comentários:

Adri disse...

Até hoje não entendo porque esse cara é tão reverenciado e regravado. Dizer que não gosta de Bob Dylan é pra mim é como dizer que o rei está nu. Todas suas músicas ficam perfeitas nas vozes dos outros e, por mal dos pecados, estão entre as minhas favoritas, ainda que eu nunca tenha vergonha de dizer que detesto Bob Dylan.

Mary Joe disse...

Engraçado, Bob Dylan me lembra um pouco chato que tinha na faculdade, que bebia demais, fumava umas e ficava cantando Like a rolling stone dia e noite. Um saco.

Entaõ, além da voz fanhosa não me atrair, sempre penso naquele povo chato, e não consigo ser imparcial com o artista. (em verdade, penso meio que como a Adriana) Porque naõ entendo tanta reverencia a alguém tão chato.
Mas seu post ficou muito bom.
Beijokas
Mary

Mariana disse...

Não conhecia essa canção. Linda!