terça-feira, 27 de julho de 2010

DAVE CLARK FIVE



A banda em que o ego do baterista não ficava lá atrás



Dave Clark Five foi a única banda que teve como líder o baterista, tanto que o nome do grupo levava seu nome; além de ser o empresário, produtor, e principal cantor e compositor. Ou seja, a banda era dele – sendo assim, a bateria de Dave Clark ficava posicionada ao centro do palco. Mas não foi apenas por essas peculiaridades que a banda atraiu a atenção da mídia. Eles fizeram muito sucesso entre 1964 e 1966. Para se ter uma ideia, eles conseguiram colocar 15 sucessos entre as 20 da parada americana, e foi a primeira banda inglesa de merseybeat depois dos Beatles a ter uma carreira de sucessos no EUA.

Dave Clark é hoje um multimilionário homem de negócios, dono da DC Productions, um vasto complexo de empresas ligadas ao showbiz.  Mas no começo todos os cinco eram muito pobres; tanto que quando David Clark conseguiu comprar sua bateria precisou levá-la para casa de ônibus. Outro fato curioso é que a mãe de um dos cinco integrantes era serviçal no palácio de Buckingham e, fazendo uma boa propaganda da banda por lá, conseguiu que eles se apresentassem no palácio. Como em 1963 o sucesso ainda estava engatinhando, não tinham dinheiro para pagar um carreto até lá, foram com seus instrumentos de metrô.


O grupo foi formado em 1961, em Tottenham, subúrbio ao norte de Londres. Além de Dave Clark (bateria), a banda incluía Mike Smith (vocais e teclado), Lenny Davidson (guitarra), Rick Huxley (baixo) e Denis Payton (saxofone, gaita e guitarra).


Fora do padrão guitarra/baixo/bateria, o David Clark Five foi o único grupo (de sucesso) da música beat a manter em sua formação um tecladista e um saxofonista. Foi a única a capturar por inteiro o real sentido do rock´n´roll dos anos 50, pela sua espontaneidade, dinamismo e alegria. Ainda em defesa de sua música, pode-se acrescentar que foi o único grupo de época, a dar destaque à música instrumental. O baixista Rick Huxley era fortemente influenciado por Ventures e Duane Eddy, o refletiu positivamente na música DC5, principalmente nas músicas instrumentais.

Seu primeiro single, lançado pela gravadora Picadilly, seria “I Knew All the Time”, e depois de ganhar um importante seguimento em clubes de Tottenham, o grupo assinou com a Columbia, onde obteria sucesso com “Glad All Over”, uma vibrante canção escrita por Clark e Smith, seria número 1 na Grã-Bretanha. Em seguida, o David Clark Five conseguiria uma sequência de grandes sucessos, em 1964, como Bits and Pieces, Thinking of You Baba e Any Way You Want it. Essa última ganharia versão do Kiss e Ramones.



Em 1965, seguem conquistando os mercados britânicos e estadunidenses com temas como o cover de Chuck Berry “Reelin´and rockin´”, Come home e Catch us if you can, essa última foi título de um filme estrelado pela banda, dirigido por John Boorman.

Também chegaram ao primeiro lugar no EUA com “Over and Over”, uma velha canção escrita pelo bluesman Robert Byrd. Sua popularidade era imensa, aparecendo regularmente na televisão, principalmente no Ed Sullivan Show. As meninas enlouqueciam com aqueles cinco bonitões simpáticos, as mães aprovavam seus bons modos e impecável elegância, e os rapazes, sonhavam em ser Dave Clark, tocar bateria daquele jeito, ter seu porte atlético.

Apesar de que durante os anos seguintes, obtiveram êxitos com Everybody Knows, The Red Balloon, a popularidade da banda decaiu. A psicodélica, o rock progressivo, o processo evolutivo da música pop, derrotou o Dave Clark Five. Os rapazes tentaram se adaptar; mudou um pouco o visual, barbas cresceram, mas não foram além disso.

No segundo semestre de 1970, o Dave Clark Five pôs fim a carreira, a partir de então, Dave Clark inicia uma lucrativa carreira como homem de negócios (ele sempre levou jeito mesmo), que incluía a posse dos direitos do famoso programa de TV “Ready Steady Go”.

David Clark Five foi mais uma das muitas bandas que fizeram parte da “invasão britânica” e que com o tempo foram caindo no esquecimento, principalmente aqui no Brasil; e a juventude atual sequer já ouviu falar deles. A banda vendeu mais de 100 milhões de álbuns.

2 comentários:

Adri disse...

Os Beatles obscureceram muito várias das bandas da "invasão britânica"... É essa a impressão que tenho, como foi aqui no Brasil. Eles realmente são muito bons. Mas os jovens de hoje não conhecem mesmo! Rock virou coisa de "tiozão"... Pena!

Mary Joe disse...

Cláudio, é triste que hoje em dia naõ se conheça bandas bacaninhas feito essa. Adorei as particularidades (gosto demais disso no seu blog: sempre há algo dos bastidores também).
Acho que todos perdemos muito com o esquecimento de boas bandas.
Beijokas
Mary

PS: estava com saudades daqui. A vida andou meio complicada, mas agora estou de volta!