terça-feira, 1 de junho de 2010


Um quase primeiro disco dos Beatles

Tony Sheridan no final do ano passado fez um megashow na praia de Camburi, em Vitória, no Estado do Espírito Santo, para cerca de 12 mil pessoas no Reveillon de 2009. Quase nada se falou sobre essa passagem do músico inglês no Brasil. Fato lamentável, pois o músico acabou entrando para história da música por ser o primeiro músico a gravar com os Beatles (você achou que era o Eric Clapton?)

Mas quem é Tony Sheridan?
Ele foi um músico de rock inglês que fez um certo sucesso no início dos anos 60, sendo o primeiro artista a tocar guitarra elétrica em um programa de televisão na Inglaterra; mas sua maior proeza foi ter lançado os Beatles no mundo do disco em 1961 – não vale contar com o single de In Spite of All The Danger lançado anteriormente, porque eles ainda assinavam como Quarrymen.

Tony Sheridan conheceu os Beatles na Alemanha, em uma das várias viagens que os Beatles fizeram para Hamburgo. Naquela época vários grupos ingleses tocavam em clubes alemães, como os Hurrycanes (com Ringo Starr na bateria) ou Tony Sheridan. Faziam um agitado circuito de boates e clubes de strip-tease como o Star Club, o Top Ten ou o Indra. A maior parte do público dos shows (além de marinheiros e prostitutas) era formado por roqueiros, que se vestiam à moda teddy boy, de couro e cabelos gomalinados. Foi nessa época que também eles começaram a tomar outras anfetaminas para aguentarem a barra de tocarem durante longas horas como as Black Bombers e Purple Hearts - só anos depois que Bob Dylan apresentaria a eles a maconha.

Foi nesse cenário que, em abril de 1961, voltaram a Hamburgo para tocar no Top Ten, que lhes fornecia um quarto acima da boate, ao lado de onde morava Tony Sheridan. Quando Sheridan recebeu um convite para gravar para a Polydor alemã, levou com ele os Beatles como banda de apoio. Lançaram um EP com "My Bonnie", "Why", "Ain’t She Sweet" (cantada por John) e a instrumental "Cry for a Shadow".  O disco foi lançado em agosto de 1961, e os quatro rapazes de Liverpool (que ainda contavam com Stu Sutcliff, no baixo) foram chamados de The Beat Brothers, pois acharam que o nome Beatles iria causar confusão.

Mais tarde esse EP, acrescido de demos e gravações ao vivo, foi lançado em LP, que ao longo dos anos foi mudando de capa e de nome como "The Beatles In Hamburgo", The Early Tapes of The Beatles e The Beatles featuring Tony Sheridan In The Beginning.


Logo após gravarem o EP com Sheridan, é quando John e Paul viajaram a Paris de carona, onde adotaram o visual estilo “mob”  e os cabelos penteados para frente (moda dos "exis") ao visitarem o amigo alemão Jürgen Collmer, que estava morando em Paris. Collmer fazia parte da turma dos “exis”, um grupo de jovens universitários intelectualizados. Entre eles também se encontrava a fotógrafa Astrid Kirshner e o artista Klaus Voorman (que criou a capa do Revolver, 1966).



2 comentários:

Adri disse...

Adoro My Bonnie! Nunca te contei isso e agora você vai saber. Quando eu tinha uns 15 anos, meu pai me deu um relógio muito "moderno" e ele tocava uma musiquinha legal. Minha mãe reconheceu e disse que ela se chamava "My Bonnie" e cantou a letra pra mim. Eu nunca esqueci. Ela sabia que era dos Beatles. Ela dizia que ela aprendeu o pouco que ela sabe de inglês com música deles... Acho que era assim naquela época em TODO MUNDO!

Lendo seu post foi impossível não pensar em Quadrophenia que retrata tão bem o comportamento dos Mods... Muito legal esse post! BRAVO!

Mary Joe disse...

Puxa, eu nunca sabia que "My bonnie" era dos Beatles. Quando eu era menina, estudava piano e o metodo usado pela minha professora era uma coleção de livros importados e aí, num deles, aprendi uma músiquinha deliciosa, chamada "My bonnie"!!!!

Agora, com seu blog, tive a oportunidade de saber a origem da música. Adorei.
Como sempre, adoro seu blog.
Beijokas
Mary Joe