domingo, 3 de janeiro de 2010

Icky Thump (2007) – The White Stripes



Eu não era muito fã do The White Stripes - embora achava Jack White um guitarrista no mínimo curioso - até que Keith Richards (precisa falar de que banda?) elogiou o gutarrista. Elogio de Richards? Isso é o suficiente para sair catando discos do White Stripes por aí. Por que Jack White só toca guitarras carcomidas pelo tempo, cujos modelos são legítimos itens de museu?

Icky Thump é o trabalho mais barulhento – quase hard rock – do duo. Uma vez mais, lá estão os acordes de guitarra dilacerados entre o punk e o countryblues, o drive minimalista da bateria, a tensão dos vocais, a estética do branco e vermelho e preto explorada em contrastes prontos para massagear gônadas e neurônios.Continua sem sinais de overdubs múltiplos, novidades de designer, armações digitais ou das últimas tralhas do mundinho hi-tech.

Por que nem mesmo ao vivo o grupo usa um baixista? Por que os White Stripes teimam em alternar repertório próprio com os blues antidiluvianos de Huddie Ledbetter (Take a whiff on me, Boll weevil) e Son House (Death lettter)?

Por que reabilitar as músicas caipiras – e certamente démodé – dos esquecidos Hank Williams (I can’t help if I’m still in love with you?) e Dolly Parton (Jolene)? Nos shows, Jack só decide ao final de cada canção qual será a próxima. Isso é maravilhoso, onde as bandas de “rock” são tão certinhas: tudo arrumadinho, ensaiado e, portanto, caretinha.
Eles continuam vestindo “as cores da inocência”, segundo Jack White, e pelo menos, hoje, sabemos que Jack e Meg não são irmãos; foram casados e são unidos atualmente apenas pela música.

Neste trabalho só há um cover “Conquest”, de Corky Robbins, que foi sucesso na voz de Patti Page. "You Don´t Know What Love Is?” é a mais pop, daquelas que agrada de imediato. “300 M.P.H. Torrencial Outpour Blues” é uma viagem por variações do Blues, passando pelo blues mais hard ao mais lento. Prickly Thorn, White revê sua descendência escocesa.

Quanto ao nome do álbum, é um dialeto típico do norte da Inglaterra, que significa algo como “”que diabos”. A ideia venho quando sua mulher, a modelo Karen Elson, disparou essa expressão em uma ocasião. “Na verdade, ela disse 'ecky thump'”, diz White.

Goste ou não do White Stripes, Jack é um puta guitarrista, e Meg faz miséria com um mini-kit de bateria. Além disso, devemos agradecê-los por ter resgatado o blues de branco que andava esquecido.

2 comentários:

Adri disse...

Ainda que tenha argumentos e que o apelo pop dessa música seja bem próximo do meu gosto, não consigo gostar deles. Fato!

Mary Joe disse...

Engraçado, entrei aqui para falar que o Keith Richards naõ tem o gosto parecido com o meu, e aí me deparei com o post da Adriana. Interessante essa coisa de gosto. As vezes é difícil explicar com lógica porque gostamos ou ainda porque naõ gostamos de algo.

O post ficou bom, mas a banda naõ é lá muito minha praia não.