quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Coven - Witchcraft Destroys Minds and Reaps Souls (1969)



Se você acha que o Black Sabbath ou o Black Widow foram as primeiras bandas a falarem de magia negra e ocultismo, mero engano seu. Antes do Black Sabbath lançar seu disco homônio, que abria com a arrepiante Black Sabbath, o Coven - é o nome dado a um grupo de bruxos(as), que se unem num laço mágico, físico e emocional, sob o objetivo de louvar a Deusa e o Deus, tendo em comum um juramento de fidelidade à Arte e ao grupo – com seu Witchcraft Destroys Minds and Reaps Souls, em 1969, que também abria com a canção chamada Black Sabbath (?). E para as coisas ficarem mais esquisitas, tinha um baixista de nome Oz Osborne, e a vocalista Jinx Dawson finalizava suas apresentações com o sinal em chifre, perpetuado por Dio quando entrou no Black Sabbath em 1980.
Mas enquanto o Black Sabbath negava seu envolvimento com magia negra, o Coven assumia-se bruxos. Isso fica nítido na música Satanic Mass que é uma gravação de uma real missa negra. (Ave Maria, Deus toma conta). O encarte interno informa: "Até onde sabemos esta é a primeira Missa Negra registrada seja em palavras escritas ou em áudio. É tão autêntica quanto centenas de horas de pesquisas em todas as fontes possíveis podem provar ser. Não recomendamos o uso desta faixa por qualquer pessoa que não tenha estudado a Missa negra e não esteja ciente dos riscos e perigos envolvidos."
A banda é estadunidense, lança seu primeiro álbum Witchcraft Destroys Minds and Reaps Souls em 1969, fazendo um rock recheado de mensagens satânicas e bruxaria. Entre 67 e 68 fizeram shows ao lado da banda de Jimi Page, os Yardbirds e também com a banda de Alice Cooper além de muitos outros. Já nos anos 70 venho mais dois trabalhos, Coven (1971) e Blood on the Snow, nesse último o som que era muito calcado em bandas como Jefferson Airplane, parte para um som mais “anos 70”, com direito a baladas com arranjos mais bem elaborados, mas ainda com letras com temática satânica.
Em entrevista a revista Descent, Oz Osborne declarou:
"Fizemos muitas coisas em nosso álbum e nossas apresentações ao vivo, intercalando Missas Negras e Rituais Satânicos que aprendíamos entre as nossas músicas. No fundo do palco tínhamos um altar e no topo do altar tínhamos uma grande cruz cristã, na qual um de nossos funcionários ficava pendurado como Jesus durante todo o show. Nosso palco era bem vermelho, com velas e coisas do tipo. No final Jinx entoava trechos de Ave Maria em latim e então interrompia a oração com palavras de Crowley como Do what you wilt shall be the whole of the law então ela saudava Satã e todos nós respondíamos "Hail Satan!" em direção a cruz. E o cara pendurado (Jesus) pulava na cruz invertia a cruz e dançava conosco no palco até o show terminar.
O Coven foi muito audaz em fazer letras ocultistas e satânicas em plena era hippie do flower Power. Ainda hoje, vejo muitas pessoas dizerem que foi o Black Sabbath a explorar o tema, que é um erro. Sim, o Black Sabbath foi pioneiro do heavy metal e com um som mais sombrio (digo, doom), mas não nesse tipo de temática.




3 comentários:

Adri disse...

credo em cruz, não quero nem ver os vídeos! fiquei com um medão!... rs rs rs...

mas essas curiosidades são super interessantes! vc nunca me contou nada disso...

beijos

Mary Joe disse...

Claudio, tb naõ quis abrir os videos. Na verdade, naõ gosto desse tipo de coisa.
Se antes eu naõ conhecia e naõ ligava para essa banda. Agora naõ ligo e corro leguas se alguém estiver ouvindo por perto, rs...

Agora, seu texto ficou muito bom. Como sempre.

Lorena. disse...

O Coven é uma das bandas que mais ouço, o som é bem legal, apesar das letras com um forte apelo satânico, mas não podemos negar que é uma banda de boa qualidade, pouco visto hoje em dia.


Já teve coragem para "assistir" a missa do Witchcraft Destroys Minds And Reaps Souls? rs.