sexta-feira, 24 de julho de 2009

Mudhoney: pioneiros do Grunge


Ainda bem que no final dos anos 80 surgiu o Grunge e o rock voltou a ficar “sujo” de novo. Lembro que o programa Fantástico da TV Globo fez uma matéria na qual falava da quantidade de jovens que existiam em Seattle, e que ferviam bandas de rock para todos os lados da cidade - isso foi em 1986, se não me engano. Foi aí que pensei: aposto que algo vai surgir daí. Cara, eu fui praticamente premonitório. Não é que logo surgiria o grunge?
Nesse mesmo ano de 1986, com a gravadora Sub Pop, as bandas do “som de Seatle” começaram a gravar. Claro, nos primórdios do movimento, o som era até mais pesado: Tab, Green River (pré-Mudhoney), Melvins, Thee Hypnotics. O próprio Nirvana era mais “sujo” e pesado (vide o primeiro álbum, Bleach).
Depois que muitas bandas começaram a debandar para as grandes gravadoras e, por causa do enorme sucesso do Nirvana, o som foi ficando mais pop – no futuro teríamos o pop-grunge. Também, ainda à época, havia aqueles que pegavam carona no movimento: Stone Temple Pilots; e para muitos o Pearl Jam, que além de fazerem um som mais acessível, seus integrantes eram remanescentes da banda Mother Love Bone, que faziam um hard rock nos moldes do Aerosmith e Guns´n´ Roses.
De todas as bandas, a que mais incorporou o espírito grunge foi o Mudhoney, e só não ficaram famosos antes do Nirvana com seu Every Good Boy Deserves Fudge (1991), por causa na demora de seu lançamento (alguns meses depois de Nevermind, do Nirvana). Devemos, também, considerar que se o Mudhoney não tivesse gravado “Touch Me, I´m Sick (1988) e colocado a gravadora Sub Pop no mapa, não teria existido “onda de Seattle”. Antes do Mudhoney, não havia Nirvana, não havia cena de Seattle, não havia sequer o grunge. O mais engraçado nessa história é que além deles serem os pioneiros, também foi os últimos a resistirem à prova do tempo.
A grande diferença entre o Nirvana e o Mudhoney era o bom humor do segundo contra o malhumor do Kurt Cobain (Nirvana) – que levou o movimento a sério demais. No entanto, as duas bandas não eram inimigas (está aí um vídeo para conferir), fizeram turnê juntos, em 1993. Até que Mark Arm (vocalista) tentou aproximar mais de Kurt Cobain, mas o cara só ficava isolado.


Um comentário:

Adri disse...

grunge nunca foi meu movimento musical favorito, mas devo dar o braço a torcer: fez marco na história! belo post, como sempre!