quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Heavy Metal


Hoje, fui ver o programa do SBT “Astros” porque tinham anunciado uma banda de “Heavy Metal” e fui conferir. Lá, estavam os caras da banda, não me lembro o nome, era um tal de Black alguma coisa e tocaram uma música deles chamada “Fúria”, praticavam um crossover legal. O que me emocionou foi ver o Miranda sacudindo a cabeça ao ver a banda tocar. Eu já sabia que ele curtia um metal. Foi meio hilário vê-lo com aquela aparência e ser tão jovem.
Eu sempre curti este estilo de rock, desde moleque mesmo, peguei o heavy metal ainda nos anos 70, quando o este tipo de música ainda não tinha despreendido totalmente do blues, andava lado-a-lado com o hard rock e acompanhavamos bandas como Black Sabbath, Deep Purple e Led Zeppelin. Bem no fim dos anos 70, o heavy metal fortaleceu com o "NWOBHM" (New Wave of British Heavy Metal) trazendo os iniciantes Iron Maiden, Saxon e Anvil. Era os anos 80, um bom período para o estilo que também foi uma década que deu início ao Black Metal e o hardcore uniu-se ao Metal e originou-se o Trash Metal. Nesta mesma época tivemos o Hair Metal ou Glam Metal, que muitos chamavam de “metal farofa” praticadas por bandas como Twisted Sister e Ratt.
Já nos anos 90 o metal se diversificou ainda mais com o Gothic Metal, Black Metal sinfônico e melódico, Death Metal, Grincore e outros estilos menos famosos. O Brasil não fica para trás, pois desde 80 o país é destaque com Sepultura, Sarcófago, Korzus e mais recentemente Krisiun, Shaman e Angra.
Sempre que digo que curto Heavy Metal as pessoas me olham com “olho torto”, como se dissessem: “que isto cara!” Já até ouvi uns desinformados dizendo que o heavy metal já era. Mal sabem eles, que a última vez que Ozzy Osbourne e Iron Maiden estiveram no Brasil, bateram recorde de público, Ozzy levou 38 mil pessoas e o Iron Maiden 37 mil pessoas em São Paulo. É mole? Mas estas informações, você não verá em um Fantástico ou Faustão da vida; eles estão mais preocupados em falar das Britneys instantâneas e “rainhas do pop”.
O Heavy Metal continua firme e forte, é só ouvir os novos trabalhos do Battlelord e do Krisiun e irá entender o poder de destruição.
Quero viver muito mais do que Miranda e sacudir minha cabeça e tocar minha guitarra imaginária, que nem neste vídeo do Korzus no programa “Código MTV”. Do caralho!!!

Um comentário:

Adri disse...

Hahahaha... Você sabe que eu não dou conta desse som muito pesado. Ouço com você apenas. Jamais seria capaz de pôr pra ouvir assim, voluntariamente. Mas se não fosse sua influência, eu jamais curtiria coisas que eu considero tão boas como HIM, Evanescence (ainda que tenha caído bastante em qualidade) e Gathering...

Seu post me fez lembrar os carinhas do Hermes & Renato quando faziam o Massacration! Eu ADORAVA! Pena que tudo que é bom dura tão pouco...