sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Botinada (2006)


Idealizado por Gastão Moreira depois de ter chamado o Clemente (Inocentes e Restos de Nada) para trabalhar no Musikaos, da TV Cultura, em que este vivia contando sobre o movimento punk no Brasil. A partir daí Gastão foi engendrando a idéia de fazer um documentário sobre o movimento punk, que demorou quatro anos para ser finalizado. Segundo Gastão, isto foi porque sair por aí procurando o paradeiro dos punks daquela época não foi nada fácil. Além do problema de edição, pois, eram quase 70 horas de material bruto.
De qualquer forma, valeu a pena tanta dedicação. O documentário é um marco sobre o comportamento da juventude suburbana do início da década de 80 – o que seria do chamado “rock nacional” se não fosse os punks? O movimento é bem provável que tenha começado na Vila Carolina em São Paulo, de onde saiu as principais bandas. Como Clemente diz no comentário, que apesar da turma de Brasília (aqueles filhos de diplomatas) terem tido acesso primeiro dos discos de Ramones e Sex Pistols não faz de ninguém punk. Um dos grandes achados foi uma apresentação do Cólera na TV tupi, em 1980, que nunca tinha sido exibida por causa de um incêndio na emissora; imagens raras do Inocentes, a invasão da polícia no festival O Começo do Fim do Mundo, em 1982. Tudo isto é retratado e comentado com muito bom humor.
Rever bandas como Lixomania, Cólera, Olho Seco, Inocentes, Garotos Podres, os Replicantes é voltar àquela época e perceber melhor, à importância do movimento punk no país, e em plena Ditadura Militar.
Hoje, vejo esta molequeda com piercing e tatuagem em tudo que lugar do corpo, ouvindo estas bandas de “rock” de merda tentando de formas até ridículas de passar uma imagem de “contestadores”. Não, naquela época a coisa era real: as gangues, os choques com a polícia, o sistema tentando acabar com o movimento a todo custo. Os punks, em sua maioria, eram formados por filhos de trabalhadores em metalúrgicas, pedreiros, arruaceiros, desempregados, office-boys, gente sem muita perspectiva de vida. Um registro histórico, e uma fonte de pesquisa para esta e às futuras gerações.

2 comentários:

Adri disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Adri disse...

Espero que você me espere pra gente ver junto... Mas se já viu, não faz mal. Eu vejo mesmo assim pq eu fiquei mto curiosa!