sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Amy Winehouse - Back to Black (2006)


Infelizmente, o que mais se encontra sobre Amy Winehouse na mídia é sobre os “escândalos”, a única coisa positiva que se fala dela é que é a “diva tatuada do soul” – como se ela fizesse apenas soul. Não me interessa escândalos, isto, eu deixo para os tablóides ingleses. Confesso que quando ouvi a Amy pela primeira vez, era a música Rehab, tocava o tempo todo na MTV, achei legal a voz da moça e ficou por isto mesmo. Até que, um dia ouvindo rádio (coisa rara que faço) tocou uma linda canção chamada Love Is a Losing Game, de cara reconheci a voz de Amy Winehouse. Depois vi um vídeo ao vivo To Know Him Is to Love Him e pronto: virei fã!
Amy Winehouse faz sucesso por misturar grupos femininos dos anos 60, Motown, e ska. Claro, estou falando de Back to Black, seu segundo álbum, porque o primeiro Frank, segue uma linha mais jazz e hip-hop, que era o que ela ouvia na época (2003), mas foi depois que conheceu seu marido, que Amy redescobriu o som dos anos 60. “tinha muita música dessa época nos cercando”, confirma a cantora.
Amy Winehouse nasceu em Southgate, Londres, numa família judia. Filha de um motorista de táxi, e uma farmacêutica, se separaram quando ela tinha 9 anos. Winehouse não aspirava ser cantora, queria ser uma garçonete sobre patins como aquelas do filme American Graffiti. Fez escola de Teatro, aos 12 anos, mas foi expulsa por causa de um piercing no nariz. Teve empregos bizarros e até de bico de jornalista. Neste interim cantava em uma banda de jazz. Um amigo a viu cantar, e percebendo de cara seu grande talento, resolveu ajudá-la a gravar umas demos até chegar à gravadora EMI. Logo gravaria Frank, lançado em 2003, ganhando disco de platina na Inglaterra, mas só foi com Back to Black que ela estorou no Brasil.
Acho que vivemos uma época boa para cantoras inglesas: jovens e com um vozeirão cantando R&B e soul como a Amy Winehouse, Duffy e Joss Stone. Fico até com dó de ver estas cantoras rebolativas de R&B americanas que têm bunda, seios (silicone) e sem muita voz.



Download:
http://rapidshare.com/files/141066264/amy_winehouse_-_back_to_black.rar.html

Um comentário:

Adri disse...

Nhaaaaaa... Eu sempre te falei que Amy era boa! Legal vc falar isso do rádio, pq eu estava junto... Fico feliz qdo vc passa a gostar de uma coisa q eu gosto pois o contrário sempre acontece entre nós: eu não gostar de uma coisa q vc gosta q eu aprendo a gostar com vc!