sexta-feira, 18 de julho de 2008

MORTE AOS EMOS


Não agüento mais esta onda emo que assola o país. Uma moda que já está em decadência lá fora, ainda é forte aqui. Engraçado é que todas as bandas emo juram de franja junta que não são emo. A vocalista Havyley Williams do Paramore já andou declarando que não é emo; NX Zero jura que não; My Chemical Romance diz “não somos emo”; Fall Out Boy não confirma e nem desconfirma.
As grandes gravadoras aqui no Brasil descobriram a música emo e investiram pesado. Detonautas, CPM22, Fresno e a grande sensação atual: NX Zero que são os que mais vendem cd´s e fazem shows pelo Brasil atualmente. Bandas como esta refletem a sociedade atual brasileira, como apontado por Miguel Sokol em sua coluna na Rolling Stones nacional. “Uma juventude correta” ou talvez mais hipócrita e fútil. Nisto, você tem que agüentar estes emos com seus olhos pintados, franja caindo no olho, uma rebeldia de shopping center e pouca atitude, choramingando refrões melosos e arrebatando o coração das pré-adolescentes do “rock”.
NX Zero é uma cria do senhor Rick Bonadio (um gugu mais esperto), que só pensa em lucro, que é responsável também pelo CMP22 – tadinhos, são forçados a fazer letras para teens, sendo que a origens dos caras era o hardcore. Mas é aquela coisa: para continuar numa grande gravadora tem que seguir o modelo.
Na entrevista com o NX Zero na citada Rolling Stones número 21, os garotos defendem um rock comportado - pelo amor de Deus! O rock nunca foi comportado; rock é rebeldia, contestação, ir contra o establishment. Veja só algumas declarações: “ A agente é tipo meio nerd, o que a gente vai contar? A Rita Lee contou que cheirou, avacalhou tudo e não sei o quê. E a gente vai contar o quê? Que terminou o GTA (um game famoso) várias vezes?”. Sobre os críticos falarem mal deles, “O Wander Wildner (Replicantes), por exemplo, a crítica ama, todo mundo fala bem dele. Aí você vai num show dele na (rua) Augusta (em São Paulo) e tem 25 pessoas no máximo, diz Daniel. Então para este elemento, boa música é a que é vista por muitos? O que é bom é o que faz sucesso? O que ele não sabe é que Wander é um verdadeiro rocker - no sentido mais amplo da palavra – já fez de tudo, viveu tudo que já cantou e muito mais. Wander nunca precisou de fazer música para pré-adolescente molhar a calcinha. Ser roqueiro é muito mais do que ter franja emo, tatuagem e posar seminu na Rolling Stones. Alias, dá para desconfiar senhor Daniel, este seu namoro com a Pitty parece coisa arrumada.
Enquanto estas bandas mainstream do “rock” nacional faz a cabeça dos desavisados, bandas como Ludovic, Violins e Los Porongas ainda estão no anonimato, longe do grande público.
Fique aí com o video original de “Festa Punk”. Rock´n´Roll com atitude”

Um comentário:

Adri disse...

Como você mesmo já disse aqui uma vez: o Rock (com r maiúsculo) já morreu.

Qualquer alusão aos Beatles nesse clip será mero acaso ou coincidência?

NÃO ACREDITO! =P

MORTE AOS EMOSSSSSSSSS! (CRIAS DE GRAVADORA FDP!)