sexta-feira, 13 de junho de 2008

The B-52´s



New wave é a versão família do punk. Lá pelos idos de 1978, quando a fúria de Sex Pistols e Cia. já havia sido absorvida e começava a ser explorada pelas gravadoras multinacionais, surgiu um novo rock, mais palatável, multifacetado e bem menos radical. Sempre em busca de novidades, a imprensa musical inglesa cunhou a expressão new wave. Do punk, a nova onda herdou a economia (dois, três acordes e estamos conversados), a tendência a trazer de volta a urgência dos primórdios do rock, o visual ousado e o culto à urbanidade. Com uma diferença fundamental: enquanto o punk era essencialmente rock de guitarras tocado nos mais altos decibéis, a new wave era um bailão de misturas. Funk, ska, reggae, música eletrônica e rockabilly se misturavam ao som da Motown e dos girl groups. A new wave era, ao mesmo tempo, futurista (abarcava sons eletrônicos) e retrô (no visual e no rock básico). Mas essa volta ao passado não significava ingenuidade. Artistas como B-52’s, Go Go’s, Devo, Blondie, Nina Hagen usavam humor e ironia para fazer dançar, num clima "alegrinho". Mas havia Joe Jackson, Elvis Costello, The Police e Gang Of Four, de discurso mais sério ou politizado. Na outra ponta, o pop eletrônico dançante de Kajagoogoo, Human League e ABC. A new wave marcou também o começo do império do videoclipe. Depois da festa, o rock deu uma guinada "cabeça" com a explosão de U2, Smiths, R.E.M., Cure e Echo & The Bunnymen.
Dentro destes todos os grupos citados, ninguém como B-52´s encarnou melhor a new wave, tanto na música como no visual. Em qualquer festinha até lá por 1985, aos primeiros acordes de "Legal Tender", era a hora de todos correrem para o salão. Vamos sermos sinceros, eles formavam uma trupe de gente esquisita: Todos, menos Cindy, eram vegetarianos. Keith era budista e morava no meio do mato, Kate não saía de casa sem seus "cristais protetores". Ninguém tomava drogas, bebia ou fumava. A homeopatia imperava, assim como a Astrologia: em várias entrevistas, eles faziam questão de declarar seus signos.
A origem da banda, aconteceu com o encontro entre Keith Strickland, os irmãos Wilson e os dois forasteiros excêntricos (Kate e Fred), é inevitável. Uma bebedeira de um drinque "tropical" chamada Flaming Volcano, em Athens, Georgia, num restaurante chinês é esticada para um jam session na casa de um amigo comum. Nascem os B-52´s, nome tirado do apelido local para os penteados bufantes adotadas por Kate e Cindy. A partir daí, venho sucessos memoráveis como a já citada “Legal Tender”, Lava”, "Rock Lobster” e “Private Idaho”, depois entraram em hibernação por três anos por causa da morte de Ricky Wilson. Voltaram com tudo em 1989, como o excepcional “Cosmic Thing”, que trouxe clássicos como “Roam” e “Love Shack”. Neste disco Keith (que era o baterista) assume a guitarra. Infelizmente não conseguem manter o pique, ainda mais com a saída Cindy Wilson. Tentam voltar em 1992, apenas como trio (Fred, Keith e Kate), lançam Good Stuff. A banda mudou um pouco o conteúdo das letras, falando da AIDS, meio ambiente e a defender os direitos dos animais. Era a primeira vez que o B-52's levanta tão explicitamente bandeiras políticas.
Agora, depois de 16 anos sem lançar nenhum material novo, O B-52´s está de volta! O novo CD, se chama Funplex (2008), que une o velho estilo da new wave com sons eletrônicos e modernos.


RICKY WILSON: 1953-1985
O guitarrista do B-52´s, Ricky Wilson - irmão da vocalista Cindy Wilson e, junto com o baterista Keith Strickland, um dos fundadores da banda -, morreu no dia 12 de outubro 1985, vítima de câncer na garganta, no mesmo Hospital Sloan-Kettering, em Nova Iorque, em que Bob Marley ficou internado pouco antes de falecer. Cinco dias mais tarde, Ricky foi enterrado em sua cidade natal, Athens, na Geórgia.
Infelizmente alguns jornalistas mal-informados, ainda hoje, dizem que Wilson morreu de AIDS - fico me perguntando: de onde tiraram isto? -, ele estava doente desde 1984, Ricky ocultou seu problema dos demais integrantes do B-52´s. O único que sabia de tudo desde o começo era Keith.
Ricky e Keith eram velhos amigos. Conheceram-se em 1969, durante o curso ginasial, em Athens. Começaram a tocar juntos mas, logo depois da formatura, em 1972, os dois partiram para a Europa, onde ficaram "vagabundeando" dois anos. De volta a Athens eles foram trabalhar na estação rodoviária administrada pelo pai de Keith. E, em outubro de 1976, quase por acaso, nasceu o B-52´s.
Ricky Wilson foi o único guitarrista que eu saiba que arrancou as duas últimas cordas da guitarra, passando a tocar apenas com as outras quatros, criando um estilo único, com seus riffs manimalistas, meio surf música e meio funk. Segundo ele, tirou as duas cordas mais agudas, por falta de uso. Infelizmente, seu talento foi subestimado, e nunca foi devidamente reconhecido.

Um comentário:

Adri disse...

Nossa, adorei! Não sabe o quanto eu dancei Roam nessa vida... Huahuahua...
Beijos