domingo, 18 de novembro de 2007

Nina




O filme mostra como a vida hostil em grandes metrópoles pode nos afetar em nossa estabilidade emocional. Sensível e pobre, Nina mergulha em sua subjetividade, deparando-se com um subconsciente caregado, que extravasa através de seus desenhos. Em meio a estes conflitos psicológicos, cheios de subterfúgios inconscientes, que o filme nos remete a Dostoievski, em que a dualidade bem e mal é quebrada, revelando aspectos sombrios da personalidade humana.

Direção: Heitor Dhalia. Brasil, 2004.

São Paulo que atrai sonhos e devolve desilusões. Sua grandiosidade é seu mistério e seu desespero. Ao mesmo tempo em que nos deixa frenéticos nos deixa apáticos ao mundo que nos cerca.

São Paulo fabrica Ninas: com seus olhos inquietos e passos relutantes que vagueiam pelos cantos e mergulham em suas sombras existenciais em busca de vestígios de vida.

2 comentários:

Adriana disse...

Fiquei como vontade de ver esse filme...

mariana disse...

parabens!!! adorei o blog!
depois entra no meu hein!!! rs
www.uniblog.com.br/marywalksalone